quarta-feira, 27 de abril de 2011

Oração para a vida

Hoje, quando cheguei a casa, abri a caixa do correio e, entre os folhetos promocionais dos hipermercados, encontrei um envelope cor-de-rosa. Quando o abri, pareceu-me estar vazio, mas procurando de forma mais atenta encontrei, dobrada em várias partes, uma folhinha que dizia:

"Só eu sou responsável pela minha felicidade. Assim, decido que desejo paz, harmonia, equilíbrio, felicidade, amor, amizade, felicidade para a minha vida, para o meu dia-a-dia.
Eu construo a minha vida  e passo a passo ela vai-se tornando cada vez mais fácil e harmoniosa.
E as coincidências vão suceder-se para eu conseguir construir tudo o que desejo e me ajuda a crescer."

A Ti, que me escreveste estas palavras, não quero dizer obrigada. Prefiro pedir-te desculpa por todas as vezes que não chorei as tuas lágrimas, que não te levei as palavras certas, que não abracei as tuas dores e as tuas alegrias.
Posso talvez ter-me esquecido durante demasiado tempo que somos responsáveis por aqueles que cativamos, mas nunca duvidei  que aquilo que sinto por ti é eterno.

9 comentários:

  1. Post tão lindo, tão sentido .
    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Belas palavras escritas nesta folhinha. Palavras de incentivo, mas que as quais, muitas vezes ficam só na teoria.

    E ficam na teoria não porque sejamos culpados, mas porque nem sempre as circunstâncias de nossas vidas nos deixam tomar as rédeas dela e manter a fé, seja em Deus ou seja em nós mesmos ou em o que quer que acreditamos, ou deixamos de acreditar.

    Desejo que consiga isso e que somente as coincidências boas lhe sucedam. Só digo uma coisa, esta frase do Principezinho pode também ser muito bela na teoria, mas nem sempre na prática somos responsáveis por tudo o que cativamos, a vida muitas vezes nos leva pra outros rumos. Não gosto deste termo de jogar o peso do mundo em nossas costas, sendo que o mesmo livro também nos remete ao risco que corremos quando também nos deixamos cativar.

    Portanto, cautela com tamanha culpa, não podemos salvar o mundo.

    ResponderEliminar
  3. Ghost Writer, é verdade que a vida nos leva para rumos diferentes dos que projectámos e que nem todas as pessoas nos fazem sentir responsáveis por manter uma ligação com elas, apesar de nos terem cativado em determinado momento, ou de nós as termos cativado a elas, mas nem todas as pessoas são iguais e a pessoa de que falo merece, sem dúvida, que eu assuma essa responsabilidade!

    Também é verdade que é um risco deixarmo-nos cativar, mas conseguimos evitar fazê-lo? Haverá alguma pessoa que chegue ao fim dos seus dias sem ter alguma vez permitido que isso acontecesse? Se há,que princípios terão orientado a sua vida, pergunto?

    E não sinto culpa. Também houve situações em que já dei muito mais do que recebi...Mas neste caso concreto, não foi isso que aconteceu e, lamento, de verdade, não ter retribuído da mesma forma, pois em todas as circunstâncias a pessoa soube estar sempre lá para mim e eu gostava sinceramente de também ter estado sempre lá para ela.

    ResponderEliminar